segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Desabafos de Facebook...

Demorei a me render ao Face, porém, agora não consigo abandoná-lo. Adoro, compartilho com amigos o que penso, o que sinto, minhas críticas e elogios. É uma rede social mais inteligente, digamos, que as demais, onde se busca postar um bom conteúdo. Nas últimas semanas escrevi alguns desabafos e, como nem todos os amigos estão na rede, compartilho aqui no blog.



Raiva x Mágoa


A raiva em meu ponto de vista, não é o pior dos sentimentos. Geralmente sentimos raiva daquelas pessoas naturalmente irritantes, chatas, insignificantes e um monte de outros "antes". Ela chega e faz o sangue ferver, vamos de 0 a 10 em um segundo, mas, assim como chega a raiva vai embora, é um sentimento momentâneo, mas que as vezes até nos impulsiona a agirmos. Mas o problema é quand...o essa raiva se transforma em mágoa e essa transformação, ocorre geralmente para com as pessoas que gostamos de verdade. A mágoa, ao contrário da raiva, fica, corrói nosso coração, nos deixa tristes, decepcionados, porque de uma certa forma amamos a pessoa que nos magoou, senão seria aquelas do grupo insignific"antes". A raiva é momento, a mágoa muitas vezes constante e vai ferindo nosso coração, tirando o sono, doendo. E o pior é que só o tempo...talvez um longo tempo, seja capaz de cicatrizar a ferida.


Amor x Liberdade



O amor entre duas pessoas só é amor de verdade quando há liberdade. Senão é paixão, sexo, apego ou coisa assim. A compreensão nos relacionamentos precisa ser intensa a ponto de um querer o outro exatamente como ele é.
Quem quer mudar o outro é porque no fundo não aceita a si mesmo e quem se deixa mudar é porque é frágil emocionalmente. Quem abandona os amigos, o trabalho, seus gostos e interesses em prol de um relacionamento está abandonando a si mesmo e fadado a pior das solidões: aquela que se tem mesmo na companhia de alguém!. Amar não é fechar os olhos para o mundo, mas abrir e que a pessoa amada e você vejam em frente o mesmo universo e caminhem pelas mesmas conquistas.


Ter x Ser

O crescimento mais importante para mim é o crescimento meu como pessoa. Não quero TER mais, quero SER mais. Quero a cada dia exercer mais a paciência, o perdão, a generosidade e a honestidade. Quero cada vez mais ter orgulho dos valores que conquistei e ter o travesseiro como melhor amigo, pois é na hora que deitamos sobre ele que nossa consciência "grita" e faz com que pensemos sobre erros e acer...tos. Nessa busca, o que está sendo mais difícil para mim é não ter "nojo e repulsa" de certos "humanos". Tento tento entender certas pessoas e atidudes, mas meu estômago ainda se revolta só de lembrar da voz de certos indivíduos que pra mim sinceramente não valem nada. Um dia Facebook, quero responder sobre "O que estou pensando" que compreendo e amo este próximo que hoje pra mim é um nada...um dia eu chego a esta "supremacia" humana mas por enquanto está difícil e sigo com este erro tentando balizar com alguns acertos.


Amizade Temporária


Uma das frases que mais me marcaram foi de uma atual amiga que num momento de raiva me disse: "Tu és uma pessoa de ex-amigos". Durante anos refleti sobre ela e seis anos se passaram e digo que sou mesmo uma pessoa de ex-amigos. Sou uma pessoa de ex-amigos, ex-namorados, ex-colegas, ex-patrões, ex-um monte de coisas e por serem ex, não quer dizer que não tenha sido intenso...s. As minhas "ex-amizades" foram especiais e são ex por várias razões, relacionamentos acabam e novos chegam em nossa vida, assim como novas amizades. O fato é que tenho a consciência tranquila que fui verdadeira, honesta e amiga enquanto duraram meus relacionamentos de amizade e jamais sairei falando mal de quem um dia abri as portas da minha casa. Minhas portas fecharam e os segredos um dia confiados a mim também ficaram trancafiados, pois a verdadeira sinceridade é aquela que transcende a mágoa.

Parentes x amigos















Hoje comecei a refletir sobre os "parentes" e que bobagem essa de termos que gostar de alguém só porque tem o nosso sangue?! Tenho tios (as) / primos (as) que amo sim, outros apenas quero bem e uns outros que pra mim são insignificantes, pois não os escolhi, não convivo com eles e o pior, sei que nunca vou poder contar com eles para nada (não estou falando financeiramente, mas de um ombro amigo, d...e uma palavra de conforto) e sei que também me consideram insignificantes. Ao contrário de alguns amigos que escolhi e sei que estão ao meu lado para o que der e vier. Por isso que não gosto de datas como o Natal, onde uma cambada de hipócritas fica desejando "Feliz Natal" mas durante o ano sequer ligaram para "os parentes" para saber se estão vivos ou mortos. Essas coisas me irritam, por isso tenho orgulho da família Momo, que mal ou bem, mesmo com algumas diferenças se respeitam e se querem bem o ANO INTEIRO e não só em datas festivas e burocráticas. Eu ainda não sou mãe, mas quando ser, pretendo que meus filhos valorizem a família acima de tudo. Que os irmãos possam contar (não dinheiro, mas amor, amizade, atenção) uns com os outros de verdade e não tenham vergonha das origens ou se abandonem nas horas difíceis. Que meus filhos tenham orgulho do que são, dos irmãos, dos pais, avós porque desculpa, quem tem vergonha ou não valoriza a família, merece desprezo!!!!

Spencer Lanches



sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Acreditar na região

Eu acredito na nossa região e você? Acredito que de alguma forma um dia Candiota, Pinheiro Machado e Hulha Negra que são nossas cidades menores, possam se tornar sustentáveis. Sustentáveis e absolutamente estáveis economicamente, capazes de oferecer qualidade de vida, bem-estar, segurança e condições adequadas de saúde e educação para todos.
Mas sei que essa crença depende de uma série de fatores e o mais importante passa pela vontade política, a vontade de fazer as coisas acontecerem. Nos últimos meses nossa região tem dado exemplos de união e força política, a começar por Candiota – a Capital Nacional do Carvão – que mobilizou não só a cidade como toda a região em prol da inserção das termoelétricas no leilão de energia. Um esforço válido e com notoriedade midiática que mostrou que nossos políticos na esfera local, regional e estadual estão mobilizados para que as usinas se viabilizem e gerem emprego e renda nas cidades que abrangem. Ainda acredito na região e o potencial carbonífero é uma das razões já que hoje em dia conta com alternativas ambientais também viáveis.
Outro exemplo foi da Câmara de Pinheiro Machado com a cassação do prefeito. Não vou discutir os méritos do Legislativo ou Executivo, mas só pelo fato do Poder Legislativo ter demarcado a sua importância e feito valer as Leis e o poder que possui foi um exemplo também com abordagem estadual que merece os aplausos da democracia.
E assim, cada cidade, recém emancipada como Candiota e Hulha ou centenária como Pinheiro Machado, vai trilhando, mesmo devagar o seu caminho para o desenvolvimento. Com pequenas ações que fazem a diferença ainda é possível tirar a região da inércia. Com atitudes empreendedoras, coletivas ou individuais podemos sim transformar o lugar que vivemos. É claro que atuar na transformação é bem mais difícil do que pensamos. É sempre mais confortável e prático migrarmos para outras cidades, abandonarmos nossos sonhos “locais” do que ir à luta. Até mesmo porque para muitos essa luta é em vão, pois onde prevalecer as bandeiras partidárias em detrimento aos benefícios coletivos, nunca haverá desenvolvimento.