terça-feira, 6 de setembro de 2011

Gosto não se discute, respeito sim!



Um desabafo sobre as preferências musicais



É fato que gosto não se discute. Cada pessoa tem suas preferências gastronômicas, esportivas, pessoais e também musicais. Porém, ao afirmarmos que gosto não se discute, temos que lembrar que respeito sim, ou seja, sempre que possível temos que buscar sermos respeitados em nossos gostos e também respeitar o gosto dos demais.
Estou escrevendo sobre este assunto porque em outubro o Justin Bieber vai se apresentar em Porto Alegre e no Facebook alguns comentários me deixaram contrariada. Os usuários começaram a dizer que iam desligar a TV se o show fosse passado ao vivo. E a partir daí, outros vários comentários “detonando” o cantor teen.
Eu na verdade não sou fã, mas também não o odeio. Não gosto de pagode, mas nem por isso chamo de: podre, lixo, porcaria. Acho que as pessoas têm que ter respeito pelo trabalho dos outros, especialmente nesta área musical, pois se eu, por exemplo, não gosto, há quem goste e por isso os grupos de pagode vendem milhões de discos todos os anos. Simplesmente eu, prefiro não escutar.
Acho que as pessoas não podem ficar se aproveitando das redes para “detonarem” os artistas, especialmente os jovens como o Justin, o Luan Santana, entre outros. São ídolos de crianças e adolescentes e temos que respeitar sim o gosto deles. Fomos crianças um dia, que gostávamos da Xuxa, Trem da Alegria, Balão Mágico, entre outros e, tenho certeza que ficaríamos chateados com algum “adulto” debochando do nosso gosto ou do nosso ídolo. Quando somos crianças amamos um cantor ou cantora, sonhamos com ele, e nada pior que destruir sonhos infantis.
Vejam um exemplo: nossa região tem muitos artistas nativistas e que cultuam a música tradicionalista também. Eu sou uma das que sou fã, porém, na nossa própria região há quem não goste, assim como em outros Estados. Nem por isso, saem dizendo que o Luiz Marenco ou César Oliveiro & Rogério Mello são lixos, podres. Enfim, gosto é gosto, cada um ouve o que quer, mas em minha opinião de simples ouvinte, que não canta e nem toca nada, é preciso respeitar o gosto musical das pessoas, seja por rock, gospel, romântica, brega e não somos ninguém para dizer que um ou outro cantor que vende milhões de discos é “podre”.
Não gostar, não dá a ninguém o direito de rebaixar um artista. Fiquei decepcionada de ver no próprio Facebook, alguns comentários detonando o Justin, achei uma atitude nada profissional, de quem também muitas vezes vive de música.
Desliguem a TV, troquem de emissora de rádio quando ouvirem o que não gostam, mas respeite quem gosta. Agora mesmo estava dando na TV uma reportagem de uma fã do Justin e tudo o que tem do ídolo.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

2ª edição do "Entre mates e canções" é neste domingo





A segunda edição da tertúlia "Entre Mates e Canções" acontece neste domingo, 4, às 19h, no CTG Luiz Chirivino em Candiota. A atividade segundo os organizadores “busca relembrar as mais belas canções consagradas na voz do cantor, já falecido, Leopoldo Rassier”.
De acordo com a Prefeitura – organizadora do evento - esta edição contará com a participação especial de Ranieri Spohr que é intérprete, revelado pelo Canto Moleque; Fábio Peralta (violonista, tecladista e compositor) e Davi Covalesky (formando em bacharelado em Violão pela UFPel). Está também confirmada a participação de diversos talentos locais como Igor Cougo, Alexandre Barreto, Jackson Barreto, Gil Deison Pereira, Felipe Barreto Lopes, Jéssica Berdet, Niandra Lacerda, Priscila Olave Rodrigues, Francisco Teixeira, Léo Pereira Filho, Ricardo Martins Couto, Laura Prates e Júlia Dutra. Conforme um dos coordenadores da atividade, Léo Pereira Filho, o evento tem como objetivo apresentar ao público candiotense o resultado de pesquisas do grupo. “É um apanhado do que há de melhor na história da música gaúcha”, salienta. Na primeira edição, a Tertúlia homenageou César Passarinho.