sábado, 28 de maio de 2011

Vereador de Candiota apresenta projeto sobre meio ambiente

O vereador e líder da bancada do PDT no Legislativo, Celso Santos protocolou na última semana Projeto de Lei que trata sobre a substituição do uso de sacos plásticos de lixo e de sacolas plásticas por sacos de lixos ecológicos ou compostáveis e sacolas ecológicas ou compostáveis.

O prevê que após aprovação em plenário e sancioando pelo Executivo, os estabelecimentos comerciais e afins de Candiota, terão o prazo de 12 meses para se adaptarem e adequarem a nova lei. Destaca ainda que todos os estabelecimentos, mesmo que comercializem sacolas retornáveis, deverão paralelamente oferecer sacolas ecológicas ou compostáveis gratuitamente, de forma que o consumidor tenha a opção de adquirir o recipiente para o transporte de suas compras sem custo e de maneira segura.

Em sua justificativa Santos diz que a proposição visa contribuir para a conscientização do uso renovável dos produtos de consumo diário, bem como ampliar o acesso a estes produtos, empreendendo desde já ações de preservação do meio ambiente visando às futuras gerações e que no Brasil, existem vários programas e iniciativas no intuito de diminuir a utilização dos plásticos, substituindo o seu uso por outras formas reutilizáveis ou de materiais biodegradáveis.

Ainda conforme o vereador a preservação ambiental não é mais uma faculdade do homem do século XXI, mas sim um imperativo de consciência. Atuando, sobretudo, como agente publico na adoção de políticas que minimizem os impactos ambientais causados pelo plástico, que demoram centenas de anos para se decompor, ou seja, enquanto uma sacola convencional pode levar mais de 500 anos para se decompor no meio ambiente, a ecológica desaparece em 18 meses, mesmo que o plástico seja descartado indevidamente ou abandonado ao ar livre.

Matérias Jornal ClassiSul 26/05/11

Confira algumas matérias

Moradora reclama de esgoto a céu aberto em Seival




Não foi uma nem duas, mas várias vezes, segundo a moradora de Seival Letícia Etcheverria Garcia, 24 anos, que entrou em contato com a Prefeitura de Candiota e Secretaria de Obras para reclamar do problema que enfrenta. Na residência dela à rua Floriano da Rosa s/n o esgoto de dois vizinhos corta o pátio e a exposição de resíduos como até mesmos fezes, além de causar mau cheiro, expõe os quatro filhos que podem contaminarem-se. “Já pedi várias vezes uma solução e não fazem nada, não sei mais o que fazer, tenho que trancar as crianças e elas não podem ter liberdade no próprio pátio, além do cheiro ruim que me faz ficar com as janelas fechadas todo o dia e moscas”, reclama ela.
Segundo Letícia, o mínimo que deveria ser feito é uma autuação e fiscalização já que o esgoto não está fruindo na direção correta que é para frente das casas nas caixas.
Entretanto, já no início desta semana, a Prefeitura de Candiota através do responsável pelo setor, Márcio Lopes, informou que tudo está sendo resolvido e que, inclusive, anteriormente já havia explicado à moradora sobre o caso, que demanda a criação de um novo caminho de esgoto para as caixas de espera que estão prontas na rua. Lopes assegurou que a Prefeitura está comprometida e que em breve o serviço será efetuado.

Arte a espera da solidariedade

Apresentação do Grupo no Natal em Candiota

Grupo de Teatro Tropeço em Cena pede colaborações para comunidade candiotense


Criado em 2009 pelo jovem estudante de 16 anos, Gabriel Bonilha o Grupo de Dança e Teatro Tropeça em Cena – que já foi vinculado a Associação de Moradores de Seival – clama pela solidariedade dos candiotenses para poder dar continuidade nos seus trabalhos. Desde que fundado, o grupo que conta com quase 30 integrantes com idades entre 5 e 40 anos da comunidade de Seival, já apresentou algumas peças de teatro, tais como “O Casamento Caipira”, “O Casamento Caipira em Girarápioca” e “O Nascimento de Jesus” que integrou as comemorações de Natal da Prefeitura ano passado emocionado à todos.

Bonilha que já participou de algumas oficinas de dramaturgia, está preparando uma nova peça para as atividades juninas “A Zorra na Roça”, na qual as personagens contarão uma engraçada história a partir de uma releitura do programa de grande audiência e humor da rede Glodo de TV, Zorra Total. A peça está sendo trabalhando com muito empenho na expectativa de levar ao público geral muito bom humor e diversão.

Entretanto, para conseguir concretizar os cenários e a figuração toda das personagens, o grupo Tropeço em Cena conta apenas com ajuda voluntária e boa vontade da comunidade para doações. Para tanto, estão aceitando roupas, calçados, móveis, utensílios domésticos, objetos diversos, que servirão para compor as cenas. “A nossa arte ainda precisa conquistar respeito, espaço e reconhecimento. Estamos num caminho certo, mas ainda precisamos da sensibilidade e colaboração com pequenos gestos, como a doação de uma roupa que está jogada no armário, mas que para a composição de uma personagem fará toda a diferença, por isso fazemos este apelo e toda a doação é bem-vinda”, salienta deixando e-mails tropecoemcena@gmail.com e gabrielbonilha@hotmail.com para eventuais contatos e informações.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

A política da região debatida no espaço virtual

A política de forma geral, sempre esteve presente na vida da sociedade e, a partidária ainda mais, sendo a responsável pelo desenvolvimento dos municípios, Estados e União, atingindo o coletivo e o individual, nas questões de educação, saúde, infraestrutura, entre outras. Porém, percebe-se que as discussões deste cunho, pertenciam a uma minoria, caracterizada pelos envolvidos diretos, líderes políticos e, trancafiava-se nos gabinetes e diretórios partidários.

Com a evolução da internet, especialmente nos últimos dez anos as discussões, análises e opiniões se exacerbaram e alcançaram a esfera virtual. Mais precisamente, com a proliferação os blogs e consequente divulgação das ações públicas, os internautas passaram a interagir com a notícia, exporem opiniões e, de certa forma, que pode ser até pretensiosa, influenciarem na vida política de uma cidade.

A política da região vem sendo debatida como nunca nestes espaços. Os principais blogs de notícias de Candiota e Pinheiro Machado, Teclando 7 e Eigatimaula respectivamente, expressam esta características e tornaram-se veículos democráticos, onde não importa quem está escrevendo ou porque razões os comentários e sim, o que está sendo dito e quais as consequências. Enfim, é a vez dos anônimos terem a voz e vez. Eu defendo o anonimato porque a perseguição por parte de alguns políticos existe sim e uma opinião, mesmo nesta “democracia” que vivemos, pode ser responsável até mesmo pela perda de um emprego. O anonimato vem sendo criticado como “máscara”, e é claro que há quem o use por benefício próprio ou com irresponsabilidade, mas há de se convir que por traz da ausência da assinatura, há um cidadão que elogia ou que critica um governo ou agente político e que principalmente, é um cidadão que VOTA!!!.

Este ano de 2011 que preside eleições municipais que são as que mais envolve a comunidade, já apresenta indícios que 2012 as disputas serão acirradas. As discussões saíram de grupos isolados e alcançaram o virtual – graças a iniciativa de blogueiros como Pablo Lima e Tiago Fagundes, onde muitos até então leigos ou descomprometidos com a política, podem ver a real avaliação dos governos e seus candidatos, podem “medir a temperatura” da opinião pública, sem ideologias, analogias ou relações de poder, muitas vezes imbricada em outras formas de divulgação.

Entendo essa possibilidade como um avanço benéfico da tecnologia e democracia. Onde a opinião é justa e bem-vinda. Considero que todos os comentários, postagens, e demais manifestações dos blogueiros e internautas, não podem ser vistas com indiferenças por quem pretende uma eleição ou reeleição. Seria no mínimo complicada a rejeição de uma nação de usuários de internet que VOTA!!!.

Um exemplo interessante foi dado no início deste mês de maio, quando um amigo meu criou no Orkut uma comunidade chamada Renovação no Legislativo Candiotense e eu aderi a “campanha”. A proposta não é radical de entendermos que os nove edis devem sair e outros nove entrarem, mas que de forma geral haja ressignificação no trabalho Legislativo. Eu, você, trabalhos em nossas funções e temos que constantemente nos atualizarmos não é mesmo? Revermos práticas, conceitos e objetivos para não sermos “engolidos” por um mercado que não tem dó nem piedade nas escolhas que faz e que exige aprimoramento. Então, porque alguns edis de Candiota, de Pinheiro Machado, ou de qualquer cidade do Brasil deve ficar acomodado em uma “zona de conforto” atuando de forma burocrática no primeiro, segundo, terceiro ou décimo mandato?! Claro que se conhece exceções e, elas podem chegar a maioria, onde uma Casa Legislativa pode ser composta por excelentes representantes do povo. Mas, sabe-se que não é unanimidade e vamos deixar de hipocrisia. Enfim, os títulos são dados a quem sentir-se merecedores dos chapéus. O fato é que esta “movimentação” alcançou no Teclando 7, o tópico da mais comentada desde o lançamento do blog há dois anos. Claro que alguns viáveis, outros ridículos, porém, 152 pessoas que VOTAM comentaram, mesmo anônimas. Em Pinheiro também foi criado um Orkut neste sentido e, estas ações ratificam a minha observação que a internet vem se tornando um espaço merecedor de atenção e capaz de prover significativas mudanças a vida pública, especialmente de cidades pequenas como a s nossas!!!

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Matérias Jornal ClassiSul 19/05/11

Algumas matériasdo Caderno A2ªFolha de Candiota no

Diretoria reeleita do Sindicato dos Mineiros expõe metas de trabalho

A chapa da situação que concorreu na eleição para os próximos três anos frente ao Sindicato dos Mineiros de Candiota, foi reeleita no último dia 5, por 127 a 65 votos da chapa contrária. A eleição transcorreu com tranquilidade quando houve 195 votos válidos, tinha como concorrente a diretoria encabeçada por Paulo Leal.

A diretoria reeleita tem como presidente Wagner Pinto; diretor Edson Budó e tesoureiro João Ibagé Chaves. A diretoria atribui a vitória ao trabalho desenvolvido até então. “Na eleição anterior nos comprometemos com a mudança e, o resultado nas urnas, foi uma um reconhecimento da nossa ação transparente e com participação da categoria.

Entre as conquistas obtidas na gestão passada, está a consolidação do registro do sindicado no Ministério do Trabalho que até então estava impugnado, além do êxito em acordos coletivos e conquista de benefícios para muitos mineiros que ingressaram na Companhia Riograndense de Mineração (CRM) após 1995, tais como o retorno de férias. “O Sindicato é um representante da categoria para todas as situações, desde a atuação em questões trabalhistas, negociações, atividades disciplinares e qualquer atividade de proteção”, comenta Budó ao citar que atualmente o Sindicato conta com cerca de 300 associados. Também foi conquistada durante a gestão, a revisão no Plano de Cargos e Salários.

Wagner Pinto destaca que para a gestão a meta PE de dar continuidade ao que está sendo realizado. “A expressiva votação é uma resposta e a certeza de que estamos no caminho certo e, que vamos continuar aperfeiçoando nosso trabalho com seriedade e sempre em defesa do funcionário”, completa ao afirmar que há muito ainda o que fazer, porém houve enorme evolução e nada de imposição, tudo sempre bem debatido com os nossos mineiros.

Reformas e aquisições

Desde que implantado em 9 de outubro 1991 o Sindicato dos Mineiros tem uma assídua inserção também na sociedade candiotense. O salão ou clube do sindicato sedia quase todos os finais de semana e também muitos dos dias de semana, os mais variados eventos para pessoas públicas e privadas e não apenas para os sócios. Diante deste engajamento social foi investido quase R$ 40 mil no salão que recebeu revestimento total nas paredes com cerâmica e também um novo, mais amplo, moderno e confortável banheiro feminino.

A diretoria adquiriu ainda um Fiet Doublo com sete lugares, zero quilômetro e a vista. “Todas estas conquistas são prova de que conseguimos reduzir custos e fazer investimentos para o melhor como plano de saúde, odontológico e aulas de inglês com descontos especiais conforto e comodidade de nossos associados”, resume a diretoria.

Os associados também gozam de benefícios junto a escola CCAA.

Especial: Aterro Sanitário de Candiota desmistificado


O Aterro Sanitário de Candiota sequer havia sido implantado e, mesmo em fase de projeto ainda ano passado, já causava uma série de questionamentos junto à comunidade. O tema vem sido amplamente discutido em mídias eletrônicas da cidade onde a comunidade expressa certa negação com o empreendimento. Há também propaganda em rádio local, porém, o entendimento sobre o real papel do aterro ainda não chegou ao senso comum. Esta matéria foi elaborada com o objetivo de desmistificar preconceitos e esclarecer as finalidades reais do empreendimento privado e desvinculando-o do vulgo lixão.

No início do mês de maio, o engenheiro de bioprocessos e biotecnologia e também residente da Meioeste Ambiental, Gildair Pereira da Paixão, esteve no 1º Seminário de Resíduos Sólidos onde fez uma explanação clara e concisa sobre o Aterro Sanitário, de forma a sanar as dúvidas dos presentes.

O processo de implantação do Aterro

O processo de implantação do Aterro Sanitário da Metade Sul em Candiota iniciou no segundo semestre de 2010, em setembro e, para o definitivo funcionamento precisou conquistar as licenças de Prévia, de Instalação e de Operação junto a Fepam – que é o órgão fiscalizador e expedidor destas – a partir de uma análise criteriosa dentro dos padrões exigidos. O Aterro está situado em uma propriedade de 33 hectares de Paulo Ferreira, sendo 4,5 de área construída e sendo esta, uma área já degradada pela mineração do carvão.

O primeiro passo no local foi a recuperação desta área degradada, com a recuperação física, configuração do relevo, inserção de uma nova dinâmica hídrica também com saneamento e a recuperação paisagística.

A construção e dinamização do Aterro

Após o processo de recuperação foi feito todo o esquadrinhamento do aterro, a célula, vulgarmente chamada de buraco onde estão sendo depositados os resíduos. A célula foi feita de uma forma com que a água não fica armazenada e sim é escoada pelas laterais. Depois foi colocada uma ampla camada de argila que foi compactada, após uma manta de impermeabilização, além de uma ampla camada de brita também. Além de um sistema com canos em PVC. Tudo isso foi feito para que quando o lixo começar a se decompor e virar o conhecido chorume este não penetre no solo e alcance o lençol freático. Os canos de PVC possuem furos escoam em uma caixa de medição que não podem conter o chorume garantido que não está havendo a penetração, o que é chamado de dreno testemunho. A manta e a argila também garantem o processo e evitam a contaminação. Conforme explica Paixão, todo o processo obedece a normas rígidas e é feito um monitoramento constante por uma empresa contratada que passa as amostras mensais diretamente para a Fepam. “São esse tipo de ações que garantem a lisura do funcionamento”, destaca o engenheiro.

Já o chorume é captado através das chamadas “espinhas de peixe”, outro sistema de canalização e, é encaminhado para uma Estação de Tratamento para que seja reintegrado às bacias que o local possui. Só em condições adequadas essa água é reconduzida ao meio ambiente. O engenheiro ressalta ainda que a escolha de Candiota se dá por razões importantes, tais como a profundidade do lençol freático do local que está entre 50 e 35 metros e citou que em Pelotas, por exemplo, a profundidade não chega a um metro.

O Aterro possui atualmente duas bancadas de sete metros cada uma para receber os resíduos compactados. Há também no local o prédio para a balança e pesagem e recebimento dos resíduos da região.

As diferenças entre Aterro Sanitário e Lixão

Como grande parte da comunidade está entendendo o empreendimento como se fosse um lixão, é bem-vindo expor algumas das importantes diferenças entre eles: O lixão é uma área onde não existe controle alguns dos resíduos depositados. Recebe lixo hospitalar, eletrônico, industrial entre outros; já no aterro é recebido apenas lixo doméstico. No lixão também não há controle e recondução do chorume, sendo que este alcança e contamina facilmente o lençol freático; já no aterro é feito todo um controle do resquício.

Valores do empreendimento e parcerias

O Aterro Sanitário da Metade Sul é um investimento privado de R$ 4 milhões e estará recebendo o lixo de nove municípios da região num volume aproximando de 70 toneladas por semana o que pressupõe uma vida útil superior a 20 anos. A Prefeitura de Candiota firmou convênio e pagará R$ 46,00 por tonelada de lixo depositado.

Igreja Santa Missão inaugura prédio em Candiota



Há vários anos instalada em Candiota, só que em outro prédio, a Igreja Cristã Santa Missão conquistou um importante objetivo no último sábado, 14, quando inaugurou o prédio próprio situado à rua Francisco Rodrigues 420.

De acordo com a pastora Iolanda Tolfo Oliveira, 54 anos, natural de Caçapava do Sul, convertida há 15 anos e residente em Candiota há sete, a construção do prédio foi uma benção.

A comemoração contou com uma Caminhada da Vitória onde os membros saíram da Praça Dario Lassance na sede do município em direção à Igreja às 17h. Após houve a inauguração com o Culto da Celebração com a presença do presidente nacional da Santa Missão, bispo Valderli dos Reis e equipe de pastores. Também aconteceram apresentações das coreografias da Igreja.

Em Candiota a Santa Missão conta com mais de 80 membros e os cultos são realizados às quartas-feiras, 19h30min – Culto da Vitória; às sextas-feiras, 19h30min – Culto da Renovação da Família e domingos às 19h – Culto de Adoração à Deus. Também acontecem congregações em outros bairros da cidade, atividades de evangelismo e visitas domiciliares às famílias. A pastora que conta ter sido chamada por Deus para atender ao seu povo, convida todas as pessoas para que conheçam a Santa Missão. “Independente de credo religioso, venham conhecer nossa Igreja e nosso prédio abençoado”, convida Iolanda, atribuindo mais uma vez todas as conquistas a Deus e citando Filipenses 4:13 “Tudo posso, naquele que me fortalece”.

Diretoria reeleita do Sindicato dos Mineiros expõe metas de trabalho


A chapa da situação que concorreu na eleição para os próximos três anos frente ao Sindicato dos Mineiros de Candiota, foi reeleita no último dia 5, por 127 a 65 votos da chapa contrária. A eleição transcorreu com tranquilidade quando houve 195 votos válidos, tinha como concorrente a diretoria encabeçada por Paulo Leal.

A diretoria reeleita tem como presidente Wagner Pinto; diretor Edson Budó e tesoureiro João Ibagé Chaves. A diretoria atribui a vitória ao trabalho desenvolvido até então. “Na eleição anterior nos comprometemos com a mudança e, o resultado nas urnas, foi uma um reconhecimento da nossa ação transparente e com participação da categoria.

Entre as conquistas obtidas na gestão passada, está a consolidação do registro do sindicado no Ministério do Trabalho que até então estava impugnado, além do êxito em acordos coletivos e conquista de benefícios para muitos mineiros que ingressaram na Companhia Riograndense de Mineração (CRM) após 1995, tais como o retorno de férias. “O Sindicato é um representante da categoria para todas as situações, desde a atuação em questões trabalhistas, negociações, atividades disciplinares e qualquer atividade de proteção”, comenta Budó ao citar que atualmente o Sindicato conta com cerca de 300 associados. Também foi conquistada durante a gestão, a revisão no Plano de Cargos e Salários.

Wagner Pinto destaca que para a gestão a meta PE de dar continuidade ao que está sendo realizado. “A expressiva votação é uma resposta e a certeza de que estamos no caminho certo e, que vamos continuar aperfeiçoando nosso trabalho com seriedade e sempre em defesa do funcionário”, completa ao afirmar que há muito ainda o que fazer, porém houve enorme evolução e nada de imposição, tudo sempre bem debatido com os nossos mineiros.

Reformas e aquisições

Desde que implantado em 9 de outubro 1991 o Sindicato dos Mineiros tem uma assídua inserção também na sociedade candiotense. O salão ou clube do sindicato sedia quase todos os finais de semana e também muitos dos dias de semana, os mais variados eventos para pessoas públicas e privadas e não apenas para os sócios. Diante deste engajamento social foi investido quase R$ 40 mil no salão que recebeu revestimento total nas paredes com cerâmica e também um novo, mais amplo, moderno e confortável banheiro feminino.

A diretoria adquiriu ainda um Fiet Doublo com sete lugares, zero quilômetro e a vista. “Todas estas conquistas são prova de que conseguimos reduzir custos e fazer investimentos para o melhor como plano de saúde, odontológico e aulas de inglês com descontos especiais conforto e comodidade de nossos associados”, resume a diretoria.

Os associados também gozam de benefícios junto a escola CCAA.

OSCIP Vigilantes Ambientais realiza segundo módulo do programa




A OSCIP Vigilantes Ambientais promoveu no dia 7 de maio, mais uma etapa do programa de Capacitação de Multiplicadores em Educação Ambiental, na comunidade de Seival, em Candiota. Na oportunidade, foi realizado Módulo 2 com a participação da Polícia Ambiental, representada pelo Comandante do 2º GBA/Bagé, Sargento Valeriano Alan Jardim de Moraes e do soldado Saraiva, que falaram sobre Legislação Ambiental, principais punições para crimes ambientais e atividades preventivas educacionais dos quais o batalhão participa.

Foram mostradas diversas situações de crimes ambientais na região, como apreensão de caça, pesca, autuações em casos de desmatamento, queimadas e maus tratos contra animais. “As caçadas de tatus e capivaras são uma das infrações com maior incidência na região, sendo que o infrator pode pagar até R$ 500,00 de multa por animal apreendido e ainda ser recolhido à Delegacia de Policia”, enfatiza o comandante. “E quem consome este tipo de carne, torna-se co-autor do crime, pois está estimulando os caçadores a depredarem a fauna”, complementa. A presidente e coordenadora do curso, Ketleen Grala destaca que a polícia ambiental é uma grande aliada no trabalho de educação ambiental, pois os alunos tomam contato com a realidade do que acontece nas infrações ambientais da região. “Ao longo do ano, pretende-se verificar as mudanças operadas na comunidade por conta da atuação dos alunos, com base nas informações recebidas durante o curso”, complementa.

Os alunos colocaram situações que já vivenciaram ligadas ao assunto e receberam orientações de como proceder em casos de infrações ambientais.

Como proceder em casos de denúncias

· Identificar o tipo de ocorrência (flora, fauna, recursos hídricos, poluição);

· Identificar o local da ocorrência (zona urbana ou rural);

· Se possível identificar o autor (s) da ocorrência;

· Comunicar pelo menos um dos órgãos competentes: Brigada Militar pelo 190; Polícia Ambiental pelo 3242-5577, Polícia Civil; Secretaria Municipal do Meio Ambiente da Prefeitura local; Ibama; Fepam ou Defap.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Matérias Jornal ClassiSul 12/05/11

Algumas matérias feitas/editadas por mim no Caderno A2ªFolha de Candiota no Jornal Classisul

Seminário sobre resíduos sólidos é realizado na zona rural de Candiota

Com a finalidade de debater com a comunidade da zona rural a dinamização da destinação dos resíduos sólidos, a Prefeitura de Candiota através da Secretaria de Meio Ambiente, realizou durante toda a quarta-feira, 5, o 1º Seminário de Resíduos Sólidos Rurais. O evento aconteceu na sede do Centro de Educação Popular e Pesquisa em Agroecologia (Ceppa) no assentamento Roça Nova com a presença de representantes das entidades organizadoras, escolas e lideranças rurais.
O evento foi aberto pelo secretário de Meio Ambiente Aroldo Quintana, que explicou a importância do evento que é de discutir com a comunidade dos assentamentos a forma, local, periodicidade e maneira de se fazer o recolhimento do lixo. “A partir de julho vamos implantar o sistema de coleta nos assentamentos e queremos ver com vocês a melhor forma para que isso aconteça”, esclarece afirmando que o sucesso da proposta passa pela compreensão da importância da participação popular. O secretário ainda discorreu sobre as questões ambientais e sobre como ainda os pequenos gestos individuais fazem sim a diferença. Quintana informou também que a secretaria está finalizando um Projeto de Resíduos Sólidos e em breve deverá lançar uma campanha de Educação Ambiental.
Outra informação apresentada pelo secretário é que o município, está organizando, através de auxílio do vereador João Couto, PT, uma organização de catadores que deverá atuar quando da implantação do aterro sanitário.
Ao fazer o uso da palavra o frei Zanatto lembrou que a discussão iniciou durante a Romaria da Terra realizada em março no município e que, a responsabilidade perante o assunto deve ser compartilhada. “Somos convidamos a fazer com que nossa terra seja melhor. Vamos pensar global, mas agir localmente”, assinala.
O frei Aldir Mattei salientou que o tema da Campanha da Fraternidade deste ano vem ao encontro da discussão, quando tem como lema “A Criação geme em dores de parto”. Segundo ele o assunto é inevitável de ser discutido e merece muita reflexão. Representando a Coptec Francisco Molina (Kiko), apontou que a instituição já realiza um trabalho neste sentido em cinco escolas da zona rural através da reciclagem. “Muitas famílias hoje em dia estão sobrevivendo disso”, aponta colocando-se a disposição.
A diretora da Escola Santa Izabel, Joeci Cunha, agradeceu o convite e disse que a escola tem interesse em integrar também um trabalho de reciclagem.
Representando a Emater-RS/Ascar de Candiota, Humberto Alves ratificou a parceria da entidade no trabalho de correta destinação e coleta dos resíduos. Para ele o seminário é interessante porque traz a comunidade para a discussão o que se desvincula de uma ação hierárquica. “Em Bagé mesmo, do dia para a noite apareceram 100 lixeiras sem nenhuma comunicação e sem nenhuma instrução para a comunidade. Aqui as coisas estão acontecendo de forma inversa o que legitima o processo de construir ideais a partir da participação do cidadão. Creio que estamos no caminho certo”, avalia.
Após as explanações foi apresentado um vídeo com o título “Mudanças Climáticas e Justiça Social” e também feita uma apresentação da empresa Meioeste Ambiental Ltda sobre o aterro sanitário pelo engenheiro Gildair Paixão.
À tarde ocorreram os trabalhos em grupos e encaminhamentos do seminário onde foram discutidos assuntos como: geração de menos lixo, separação do lixo, destino do lixo orgânico, destinação do lixo seco e eletrônico e pontos de coleta e sistemas de recolhimento.

Presidente da AMJE comemora melhorias
As melhorias que estão sendo realizadas na infraestrutura da sede da Associação de Moradores de João Emílio (AMJE) estão sendo comemoradas pela comunidade e pela diretoria.
Através de uma parceria com a Prefeitura, R$ 17 mil estão sendo empregados na ampliação e reforma da associação. O prédio que tem cerca de 150 metros quadrados será ampliado em mais 40 metros quadrados. Serão feitos reparos no piso, nas paredes, na cozinha e pintura e a nova área deverá abrigar uma biblioteca e um laboratório de informática.
A obra está sendo executada pela empresa AMA e tem um prazo de 120 dias para ser finalizada. Conforme o presidente da (AMJE) Gilmar Moraes o local ficará ainda mais adequado as necessidades da comunidade e terá um espaço de intelectualidade onde jovens e adultos poderão fazer pesquisas. “Assim levaremos mais cultura à comunidade” destaca.

Vereadores viajam à Brasília em busca de melhorias para Candiota

Na última semana de abril uma comitiva de vereadores de Candiota esteve em Brasília cumprindo uma extensa agenda em ministérios e secretarias em busca de melhorias para o município. A comitiva pluripartidária contou com os vereadores João Couto e Giselma Pereira, PT, Liliane Martins, PMDB e Celso Santos do PDT. O grupo esteve em audiências no Ministério das Cidades, Secretaria Nacional de Articulação Social da Presidência da República, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Presidência da Câmara Federal, Gabinete do Deputado Henrique Fontana, PT-RS e Secretaria Executiva do Ministério das Comunicações.
Chalés da Vila Operária
Um dos encaminhamentos foi sobre os chalés da Vila Operária quando, no Ministério das Cidades ocorreu audiência com o Secretário Nacional de Programas Urbanos, Norman de Oliveira; representante do Sistema Nacional de Habitação, Edson Ribeiro; representante da Regularização Fundiária, Antônio Menezes Júnior e representante da Secretaria Nacional de Programas Urbanos, Elton Montandon. Conforme Couto, nesta audiência foi analisada, com a assessoria deles, a situação dos moradores que não têm condições financeiras para comprarem estas casas, devido a baixa renda e a falta de financiamento para esse tipo de imóvel, ou seja, antigo – com mais de 30 - e de madeira. “Em todo o sistema não há uma só linha de crédito que inclua essa modalidade. Este tema venho trabalhando desde que assumi uma cadeira na Câmara de Vereadores, mas ainda não conseguimos fazer discussão adequada com a Diretoria da CGTEE que, parece, não quer tratar do assunto nos termos necessários, para minorar uma injustiça e evitar futuro conflito”, lamenta o edil.
Da longa entrevista mantida e após inúmeras cogitações chegou-se à conclusão de que há três caminhos possíveis para que seja garantido o direito de morar dessas famílias: A CGTEE faz financiamento próprio, a longo prazo, que permita valores de prestações compatíveis com as menores rendas; a CGTEE doa, ou vende, para a Prefeitura esses chalés, para que o município transfira para os moradores em condições adequadas; CGTEE firma, com cada morador, situado na categoria social baixa renda, um contrato de concessão de uso por certo tempo – 10, 20 ou 30 anos – com opção de compra. Se, no decorrer desse tempo, o morador reunir as condições de comprar, com ou sem financiamento, poderá fazê-lo.
Miguel Arlindo Câmara
Na Secretaria Nacional de Articulação Social que é adjunta da Secretaria Geral da Presidência da houve uma audiência com a finalidade de buscar apoio para a solução de várias demandas como a federalização da estrada Miguel Arlindo Câmara (MAC). Sobre a MAC também foram realizadas outras audiências e apresentando um extenso relatório com fotos que aferem a má condição da entrada.
Casa dos Assentamentos
Também foi acertado junto ao responsável pela pasta, Selvino Heck uma demanda imediata, para cuja intervenção já lhe remetera um relatório, é a da liberação de recursos – reforço – para a construção das casas das famílias assentadas nos assentamentos Companheiros do João Antônio, Pitangueiras II e Pátria Livre (ou Estancinha) todos em Candiota, cuja espera já dura nove anos.
No INCRA, aconteceu uma audiência com o Diretor de Desenvolvimento de Projetos de Assentamentos, César José de Oliveira na qual as vereadoras Giselma e Liliane juntaram-se ao prefeito Luiz Carlos Folador, para acompanhar a reunião da comissão do Senado Federal que tinha em sua pauta a estrada Miguel Arlindo Câmara - para tratar da liberação da verba de reforço, para completar os recursos destinados a construção das casas de 61 famílias assentadas em Candiota, nos assentamentos Companheiros do João Antônio, Pátria Livre e Pitangueira II.
Rádios Comunitárias
No Ministério das Comunicações a comitiva foi recebida pelo Assessor de Relações Institucionais da Presidência da Câmara Federal, ex-prefeito de Angra dos Reis, José Marco Castilho e pelo Coordenador Geral das Rádios Comunitárias Otávio Pierante. “As rádios de nosso interesse imediato são a Interativa FM e a Cultura Camponesa, rádio da área dos assentamentos. Estas foram nossas demandas nesse ministério”, salienta Couto.
A Interativa está aprovada pelo Governo Federal, faltando, agora, ser aprovada por uma comissão da Câmara Federal. Dentro de, aproximadamente, três semanas deverá ser enviada pela Casa Civil da Presidência da República para o Congresso. A Câmara Federal tem três meses para votar. Caso não o faça há instrumento legal para permitir uma licença provisória para funcionar até que seja votada e aprovada. A Interativa FM está prestes a entrar no ar.
Quanto a Cultura Camponesa seu processo foi arquivado por falta de contato da diretoria com o Ministério. Houve perda de prazo em uma comunicação expedida pelo Ministério. Há a necessidade de refazer todo o processo.
Otávio Pierante passou às mãos dos edis o Plano Nacional de Outorgas para Radiodifusão Comunitária, projeto do Governo Dilma, em que estão previstas a universalização do serviço de radiodifusão comunitária – pelo menos uma emissora por município – o atendimento de 13 cidades que ainda não foram contempladas e de 1268 sem outorgas e a inclusão no Plano de 727 cidades cujos processos podem ter o pedido de outorga indeferidos. No Governo Dilma já foram concedidas 430 outorgas, desde 15 de fevereiro deste ano, sendo um deles na Região da Campanha: Aceguá.

Grupos da Economia Solidária reúnem-se em Candiota e apresentam demandas

As empresas Guayí e Neats em conjunto com o Fórum Regional de Economia Solidária estiveram em Seival nesta terça-feira, 9, reunidos com os grupos de economia solidária de Candiota e também com representantes da Prefeitura. A visita teve objetivo de verificar o funcionamento e dinâmica dos grupos para com a sociedade como um todo.
A empresa Guayí - que significa semente de uma nova sociedade - assim exemplificada pelo Coordenador da sede de Bagé, André Mombach tem se destacado por trabalhar com a formação da economia solidária , pensando nos direitos humanos, buscando um trabalho coletivo e buscando retirar as pessoas do risco de vulnerabilidade seja na agricultura ou na cidade.
A sede geral da empresa fica em POA onde. Em Candiota vão colaborar com os projetos que fazem parte da economia solidária sendo que cinco grupos já estão engajados neste programa e participaram das atividades informando aos representantes das empresas e do fórum regional as demandas que o município tem e as necessidades para que o programa possa ser expandido e também o que se faz necessário para o aperfeiçoamento do programa.
Já o representante da Guayí afirmou que “foi muito bom conhecer o funcionamento da economia popular solidária aqui de Candiota, as experiências são incríveis, alias troca de experiências foi muito legal, foi importante conhecer os grupos”.
O representante da Neates Daniel Lemos – que presta serviço pra Guayí – assinalou que “é muito bom ver as pessoa se organizando coletivamente, para que esse tipo de técnica cada vez mais seja expandido para outras pessoas”.

Conheça a Guayí
A Guayí, que significa “semente” no idioma Guarani (grupo indígena da região Sul do Brasil), tem como objetivo estimular a auto-organização da sociedade para a construção de seus direitos, na perspectiva generosa e solidária de um outro mundo possível, onde haja socialização dos frutos do desenvolvimento e de todas as dimensões do poder, com respeito às diferenças, não sendo estas motivo de desigualdade social. A possibilidade desta nova sociedade só pode ser coletiva, plural e profundamente democrática.
Procura, com seu trabalho, compartilhar uma reflexão crítica sobre a realidade, estimulando o fomento à elaboração de estratégias e ações que se contraponham à lógica excludente do mercado e das políticas neoliberais. A ONG tem como orientações centrais a democracia participativa, a luta feminista, as questões de gênero, a economia popular solidária e as questões ecológicas.
Economia Solidária
A Guayí é integrante da Associação de Empreendimentos Solidários EMREDE do Rio Grande do Sul, contribuindo com a formação em autogestão, assessoria para a atividade econômica e estímulo à autogestão de rede entre os empreendimentos solidários. A EMREDE é uma associação civil composta por cooperativas, microempresas solidárias, associações, grupos solidários, organizações não-governamentais e entidades que compõem uma rede de cooperação econômica com objetivos de atuação solidária, com ganhos em escala e de organização autogestionária com a implantação dos princípios da economia solidária

Fonte: http://www.guayi.org.br


Ação Social de Candiota solicita doações para moradora que teve casa incendiada

A Secretaria de Ação Social de Candiota está realizando uma campanha em prol de Elisangela Padilha, que teve sua casa incendiada recentemente no Assentamento Os Pioneiros. O incêndio causou destruição total da casa. Elisangela possui três filhos pequenos, e solicita qualquer doação, pois a terá que começar do nada. Mais informações podem ser obtidas através do telefone (53) 3245-8059.

Aumento para o funcionalismo em Candiota satisfaz sindicato e categoria

Foi aprovado em sessão na Câmara de Vereadores nesta segunda-feira, 9 - por unanimidade entre os vereadores presentes - o aumento do salário para os servidores públicos municipais da Prefeitura de Candiota. O processo de negociação, conforme a presidente do Sindicato dos Municipários de Candiota (SIMCA) Maria Inês Valério Farias, foi um dos mais brandos já realizados. “Não precisamos fazer nenhuma mobilização ou paralisação e ficamos satisfeitos com os valores”, destaca.
A presidente lembra ainda que a proposta da categoria foi praticamente aceita, pois, em assembleia realizada em 19 de abril com os funcionários foi sugerido 15%, após o Executivo apresentou uma contraposta de 10% e novamente a categoria reapresentou em 11% que foi aceita. “Foi uma das melhores reposições que tivemos”, completa Maria Inês.
Além da reposição de 11% foi dado um acréscimo de 20% no vale-refeição, quando de R$ 10,00 por dia passou para R$ 12,00 por dia, no qual os funcionários recebem, por exemplo, em 20 dias trabalhados, R$ 240,00. Já a contribuição para o vale descontada em folha também baixou de 20% para 10%.
Os benefícios abrangem os quase 400 funcionários do quadro, os concursados, CCs, contratados diretos da Prefeitura excetuando-se apenas os estagiários. Os valores foram também aprovados pela categoria. “Foi um bom aumento, acredito que tenha atingido as expectativas da maioria dos funcionários, pois na Assembleia Geral dos funcionários a proposta foi aceita por unanimidade”, comemora Marta Martins da Secretaria de Obras. “Com certeza eu gostei, nosso índice foi o maior da região. Também gostei da redução do percentual de desconto do Refeisul, bem como a promessa de redução do índice do IPE onde os funcionários descontarão 35% e a prefeitura paga 65% (agora será paritário 50% e 50%) e também a promessa de ajudar aos funcionários residentes em outras localidades”, aponta Rosane Malaguez, do Controle Interno. A votação do IPE, entretanto, ainda não aconteceu no Legislativo.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Matérias Jornal ClassiSul 05/05/11

Hoje na versão impressa do Jornal ClassiSul

Cidadania

Melhor Idade valorizada em Candiota

No dia em que o Instituto Brasileiro de Geografia e Pesquisa (IBGE) divulgou para todo Brasil que conforme o Censo de 2010 já chega a 14 milhões o número de idosos, o Poder Público de Candiota paralelamente mobilizou-se e realizou a 1ª Conferência Municipal do Idoso. O evento foi realizado na sexta-feira, 29, durante todo o dia no Sindicato dos Mineiros contando com a presença de quase 100 participantes entre autoridades municipais, representantes de entidades e idosos.

Autoridades expõem a importância do evento

A mesa do cerimonial ficou composta pela presidente do Conselho Municipal do Idoso, Delma Sória das Neves; Frei Aldir Mattei; secretária de Ação Social, Trabalho e Renda, Hilda Rejane Bom; primeira-dama Ana Sholl e prefeito Luiz Carlos Folador.

Na ocasião, Rejane expos a satisfação em estar realizando o evento, assim como percebeu a alegria no rosto dos idosos participantes. Aproveitou para agradecer todas entidades que auxiliam os grupos da sede do município, Seival e João Emílio, tais como as associações de bairro das localidades, Clube de Mãe Cleci e o próprio Sindicato dos Mineiros. Também enfatizou a importância do respeito aos mais velhos. “Os índios mais velhos nas aldeias eram sempre respeitados. Os anciões na Bíblia, os preto-velhos na cultura afro, então, não consigo entender em que momento da história da sociedade o idoso começou a ser desrespeitado e precisamos fazer esse resgate”, considera argumentando que este é um dos papeis da secretaria de Ação Social.

Dona Delma que além de presidir o conselho integra o Grupo da Melhor Idade Saber Viver – criado em 2005 e que realiza diversas atividades – fez um discurso entusiasta, afirmando que a idade nada tem a ver com a alegria de viver. “Somos gurias e guris e vamos continuar a caminhar juntos neste grupo onde há muito amor e união”, vislumbra ao agradecer as entidades da esfera pública e privada que sempre dispõem de total apoio as atividades.

Frei Aldir, salientou que a conferência é um importante momento de diálogo e onde se expressa com clareza a qualidade do trabalho que vem sendo feito para com os idosos. “Saber Viver é partilhar, comungar as experiências e isto está sendo muito bem feito”, elogia.

A primeira-dama por sua vez, assinalou que o encontro é o resultado de uma caminhada. “Recém estamos começando e teremos muita história para contar”, sintetiza Ana, ao fazer um resgate do trabalho percorrido da entrega da Cartilha do Idoso na ocasião e do comprometimento da administração.

O prefeito, tomado pela emoção do momento, disse ter lembrando-se dos pais e citou que a pessoa idosa tem muito a ensinar e deve sempre ter respeitado seus direitos. Afirmou que políticas públicas são necessárias e que está conferência deverá ser a primeira de muitas, pois consiste em essencial momento de reflexão. “Vamos nos desafiar que esta seja então, portanto a primeira de muitas”, assevera.

Prefeito anuncia construção de Centro de Conveniência do Idoso

Um espaço amplo, confortável, onde diversas atividades físicas, de lazer e entretenimento possam ser realizadas. Assim configura-se o Centro de Conveniência do Idoso, uma obra projetada desde 2008 com recursos parlamentares do deputado federal Paulo Pimenta, PT/RS, no valor de R$ 100 mil, na qual a Prefeitura entrará com mais R$ 60 mil em contrapartida.

Folador, anunciou a construção do Centro além de apresentar a planta do projeto que deverá ser construído à rua Norberto Nunes, na sede do município. Junto ao local, também deverá ser implantado o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS).

Atividades de integração foram realizadas

Após os discursos e anúncios oficiais foram realizadas durante o restante da manhã e à tarde atividades de integração e reflexão. O Frei Aldir Mattei e o músico Pastel realizaram um momento musical onde todos os participantes cantaram a Oração da Família, seguido de dinâmica e palestra sobre “Família e Qualidade de Vida”, com a assistente social da CGTEE, Graça Araújo.

Também houve a palestra sobre “A Intersetorialidade na garantia dos Direito da Pessoa Idosa: Uma Responsabilidade de Todos” ministrada pela professora e psicóloga coordenadora de Centro de extensão em atenção a 3ª Idade – C3, da Universidade Católica e membro do Conselho Municipal do idoso de Pelotas, Sulanita Caldeira de Arruda e apresentação dos serviços prestados pela administração para os idosos. A manhã encerrou com almoço de confraternização. À tarde ocorreu momento cultura, trabalho em grupo, escolha dos delegados e encerramento da conferência.

Habitação

Sonho das escrituras mais perto de comunidade em Candiota

Na João Emílio, quase 400 lotes serão contemplados

Mais uma boa notícia foi anunciada à comunidade da João Emílio no último dia 29. O bairro, que passa por intensas modificações em sua parte estrutural, tais como a reforma da escola, calçamento e construção de novos abrigos de ônibus, agora será beneficiado com um novo processo que visa a regularização fundiária através do programa More Legal.

Na tarde do dia 29, o prefeito Luiz Carlos Folador em conjunto com o secretário de Obras Artemio Parcianello; procuradora jurídica Luciane Cruz e os integrantes do Departamento de Regularização Fundiária, Adriano Santos e Fabiano Mussolini, advogado e estudante/estagiário de Direito respectivamente, estiveram na sede da Associação de Moradores da João Emílio, onde foram recepcionados pela diretoria através do presidente Gilmar Moraes.

Moraes afirmou a importância de a comunidade ter se mobilizado e participar do chamamento para poder esclarecer as dúvidas.

Folador externou as cerca de 70 pessoas presentes, o apreço pela localidade. “A João Emílio é um bairro como outro qualquer e tem que ter os mesmos benefícios dos demais. É uma comunidade feita por cada um de vocês e nós estamos investindo em melhorias”, assinala. O prefeito enalteceu o trabalho da equipe afirmando a total competência e dedicação que tiveram em um processo iniciado desde 2009. “É uma equipe de excelência”, elogia.

Para o advogado Adriano Santos, o trabalho foi árduo, todavia, gratificante. “Em nosso trabalho contamos com a participação de todos vocês que reuniram a documentação necessária para os processos”, aponta.

De acordo com Parcianello, o trabalho é fruto de decisão e vontade política. “É importante queremos fazer as coisas e persistir querendo”, completa.

Processo de escrituração

O processo de escrituração inicia com a reunião de documentos de cada lote onde é comprovada a cadeia sucessória de venda a partir de Clair Farias – atual nome e proprietário dos lotes – e com isso a comprovação da posse. Após a aferição dos documentos os 397 pedidos serão encaminhados ao Cartório de Registro de Imóveis que também os avaliará e encaminhara a Justiça, responsável pela liberação dos alvarás de titularidade. Conforme o Executivo o processo deverá durar cerca de um ano e o pedido coletivo foi protocolado na própria sexta-feira em Bagé.

Benefícios do processo fundiário

Um dos principais benefícios do processo de regularização fundiária é a legalização de fato da propriedade. Além disso o imóvel ou terreno com escritura torna-se mais valorizado e seus proprietários podem acessar recursos federais de incentivo a reforma e construção como o Minha Casa Minha Vida que pode ser pago em até 20 anos sem juros.

Para a moradora da comunidade há 16 anos, Zuleica Moreira Pinto, 70, ela e os vizinhos só têm a comemorar. “É muito bom esse projeto e só temos que agradecer por termos a possibilidade da documentação em dia”, salienta ao destacar o calçamento que passará em frente a sua casa, valorizando ainda mais o imóvel.

Projeto More Legal

Conforme o Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, O Projeto More Legal consiste em proceder com segurança o registro de loteamento, desmembramento ou fracionamento de imóveis urbanos ou urbanizados, com o objetivo de assegurar ao cidadão não somente a posse e propriedade do imóvel, mas sua decorrente e imprescindível titulação. O Projeto pretende enfrentar a regularização de títulos de domínio, com a legalização ou regularização de imenso contingente de lotes de terrenos urbanos e respectivas moradias por consequência.

À medida que crescem os aglomerados urbanos, grave e proporcionalmente se intensificam os casos de não-regularização do instituto constitucional da propriedade, embora já instituído o domínio. Incontáveis são as situações consolidadas e irreversíveis, suscetíveis de regularização, sendo estas o objetivo maior do projeto. O Projeto "More Legal" está regulamentado na Consolidação Normativa Notarial e Registral, em seus artigos 532 a 544.

Ações do Poder Público está fazendo na comunidade

- Calçamento

- Construção de abrigos de ônibus

- Ampliação da escola Neli Betemps

- Convênio para reforma do campo de futebol da Associação Esportiva (AEJE)

- Convênio para reforma e ampliação do prédio da Associação de Moradores (AMJE)

- Rede de esgoto

- Programa de distribuição de leite

Ações que Poder Público comprometeu-se em realizar

- Distribuição de cestas básicas para cerca de 50 famílias

- Construção de uma praça de recreação e lazer

- Construção de uma ciclovia entre João Emílio e Vila Operária

- Construção de uma rótula no acesso da localidade

- Asfaltamento entre João Emílio e Seival (RS 084)

Esporte

Torneio do Dia do Trabalhador integra bochófilos da região

No domingo, 1º de maio – Dia do Trabalhador – a Cancha de Jamir Bochas na Hulha Negra, reuniu jogadores da região no Torneio do Dia do Trabalhador. O evento realizado na Hulha tendo como organizadores Zezo e Colono contou com 13 duplas, sendo sete da cidade anfitrioa, uma de Bagé e cinco de Candiota. Com muita descontração, os jogos aconteceram durante todo o dia quando houve ainda um almoço festivo. O primeiro lugar ficou com a dupla Luis e Colono; segundo com Sérgio Momo e Maluf e terceiro com José (Zezo) e Pedro.

Meio Ambiente

Vigilantes Ambientais reúnem-se no próximo sábado em Candiota

OSCIP Vigilantes Ambientais de Candiota promoverá mais uma etapa do programa de Capacitação de Multiplicadores em Educação Ambiental. A atividade será no próximo sábado, 7, na Escola de Seival.

Na oportunidade será realizado o módulo 2 que contará com a participação do 2º Batalhão de Polícia Ambiental que falará sobre Legislação Ambiental, principais punições para crimes ambientais e atividades preventivas educacionais que desenvolvem. Serão abordadas diversas situações de crimes ambientais na região, como apreensão de caça, pesca, autuações em casos de desmatamento, queimadas e maus tratos contra animais.

Neste ano o trabalho está sendo realizado na comunidade de Seival em parceria com a Associação de Moradores e a Escola de Seival e conta com a participação de 40 alunos.

A OSCIP Vigilantes Ambientais é composta por voluntários que se dedicam ao trabalho de educação ambiental, e vem ao longo destes anos promovendo a conscientização da população sobre diversos problemas ambientais, assim como estimulando a participação da comunidade na fiscalização ambiental. Segundo a presidente Ketleen Grala, “o principal enfoque são as ações individuais, em que cada um pode fazer a diferença para melhorar sua comunidade, seja cuidando dos animais, das plantas, do patrimônio publico, enfim, do meio em que vive”.

A presidente informa também que ao longo do ano, o trabalho prossegue com encontros mensais, onde diversos temas relativos a preservação ambiental serão apresentados aos alunos, até a formatura em dezembro.