sexta-feira, 18 de março de 2011

Viva no Saúde Pública...

Viva a nossa saúde pública!!!
Eu tive momentos contrastantes com o SUS. Em alguns episódios fui super bem atendida com tudo o que o sistema me dá direito como cidadã brasileira e em outros, muito mal atendida. Mas isso aconteceu já com todo mundo que precisou, eu acho. Eu no momento estou sem plano de saúde, mas assim que resolvidas umas pendências quero fazer, porque está ficando complicado...
Desde o início da semana estou com fortes dores nas costas, que vão do pescoço aos quadris. E ontem, incomodada fui até o Hospital de Candiota na Vila Residencial. É claro que não saí do conforto da minha casa, com dor, só pra bonito. Aliás, ninguém vai consultar e ainda mais num hospital se não está precisando.
Chegando lá, muito rápido o atendimento, parabéns. Tudo lindo, mas na sala do médico, tive que ficar muda.
Por respeito, não vou citar o nome dele, mas ele me perguntou o que eu tinha e eu descrevi, inclusive citando que eu achava pelo caroço no pescoço, que tinha bico de papagaio. Pois bem, o médico não faltou com a educação e simpatia, mas me olhou e disse: - Tu tens que ir a um traumatologista. Não respondi nada, mas pensei, bom, tudo bem, eu sei, mas tem em Candiota? Deve ter só em Bagé e particular sei que é bem caro, não tinha dinheiro na mão e nem se consegue uma consulta assim, na hora.
Bom, achei que ele ia me examinar, e tal. Nada. Simplesmente me deu um diclofenaco. A consulta durou nada mais do que cinco minutos, fui à farmácia e comprei o remédio. Estou tomando, a dor ainda não passou, vamos ver, acho que terei mesmo que ir ao traumatologista. Dai me lembrei que ano passado tive dor de ouvido e fui lá também. Era uma médica, simpática e atenciosa, mas me disse: - Olha vou ter que meio adivinhar o que tens, porque estamos sem o aparelho de examinar (otoscópio). Tudo bem, ela me deu um ostoporim e melhorou...por sorte.
Mas agora fico pensando, está certo sermos atendidos assim? Essa é a postura de um médico e de uma instituição de saúde? E se eu tivesse com um problema mais sério nas costas, como fica a minha integridade física. Quem fiscaliza esse tipo de coisa? Quem denuncia? Ninguém, porque há medo, há perseguições políticas, há receios. Ontem fui eu, amanhã pode ser uma pessoa com uma doença séria e que é mandada embora sem ser examinada. O que está acontecendo com muitos de nossos médicos pelo Brasil afora, cadê o juramento que fizeram, o compromisso com a vida? Sei de casos que médicos têm nojo de pacientes...o que é isso meu Deus?!
Eu como não devo nada pra ninguém e sou uma cidadã que pago meus impostos falo mesmo e não tenho medo das consequências. Acho que só com a crítica que as coisas podem melhorar e com saúde, não se pode brincar.

sábado, 5 de março de 2011

Concurso da Prefeitura

Saiu a classificação inicial do concurso da Prefeitura de Candiota. Eu fiz, passei, mas não classifiquei entre os 9 para oficial administrativo. Mas é isso, a gente vai tentando e não é vergonha nenhuma ficar mal colocado ou reprovar, a inteligência e potencial não se mede apenas em um concurso.
Para o que rodaram ou foram mal, insistam, um dia se consegue até porque a cada concurso adquirimos mais experiência.
Quero parabenizar meu amigo Pablo Lima, que ficou em 1º lugar e técnico de informática, a minha colega de pós na FURG, Núria Oliveira, que ficou em 1º lugar como professora de Língua Espanhola e minha amiga de infância Larissa Porto, que ficou em 4º lugar como Operário, meu amigo advogado CLaudio Gomes Lopes, em 2º lugar, em nome deles, parabenizo todos os aprovados e que tenham sucesso nesta nova empreitada.
Quero parabenizar meus colegas de cursinho e professores na Qualificar que ficaram bem colocados e dizer que vamos seguir em frente. Parabenizo também a escola pelo excelente preparo que nos deu.