terça-feira, 5 de maio de 2009

Lei seca ou cérebro seco?


Um artigo sem pena, sobre o alcoolismo



É tomada pela profunda indignação de jornalista, que paro meu trabalho em uma segunda-feira cotidiana, para maximizar minha opinião sobre a Lei Seca. Mais que isso, começo com uma afirmativa irrevogável que pode parecer antipática ou até mesmo cruel para muitas pessoas: não tenho pena de quem morre vítima do álcool.
Sem hipocrisia, tomar uma cervejinha e outra é normal, integrativo, mas abusar tem apenas dois nomes no meu ponto de vista: alcoolismo ou insatisfação. Sem entrar no mérito e respeitando todo o sofrimento que quem tem a doença e é alcoólatra, vamos ao segundo caso, os insatisfeitos.
Em toda regra há exceção, vale este ponderamento, mas os insatisfeitos, geralmente estão na casa dos 20-30 anos, são aqueles sujeitos com auto-estima baixa, que enchem a cara para mostrar e em seguida marcaram o que realmente são. De “cara limpa”, não conseguem ser nada. Então, eles enfiam a cerva no copo e com isso acham que são deuses, com tesouros nas mãos que são passaportes para a diversão, para o sexo fácil e aventura desenfreada. Não sabem parar, abrem o botão da camisa e rebolam freneticamente e, de preferência com a chave na cintura, afinal o insatisfeito já “afundou” a frente da festa no possante rebaixado e com insulfilme.
Retorno a dizer, beber com moderação é normal, ridículo é quem além de beber demais, prejudicando o próprio organismo, bebe para aparecer ou para se revelar, colocando a culpa na pobre da garrafa.
Gostar de automobilismo, também é normal. Afinal, quem não quer um carro confortável, bonito e com bom motor e lataria. O que é lamentável e deprimente, são aqueles indivíduos que pensam que um carro emoldura o caráter, ou então o fará mais bonito e “pegador”. Bem, pode até ser sim um forte atrativo para e ajudar o carinha que não é lá essas coisas de bonito, mas só atrai mulheres com o mesmo grau de futilidade. Até ai, tudo bem, “cérebros-secos” se atraem.
A Lei Seca foi instituída no Brasil e de pronto causou polêmica, entretanto, o resultado é assustador, em São Paulo, por exemplo, no primeiro mês de aplicação, as mortes em acidente de trânsito caíram em 50%.
A informação está ai, querendo ou não acessar. Bebida e direção não combinam, já é uma máxima, mas os “cérebros-secos” teimam em acelerar, fazer racha, se exibir para os amigos e para a mulherada, bêbados. Por isso sem medo da revolta eu digo: Não tenho pena de quem morre em acidente de trânsito por causa do álcool. Me solidarizo com os amigos, com a família, mas infelizmente, nem um da turma de indo, cai a ficha da galera.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Candiota: Uma cidade desenvolvida, mas ainda mal informada


Pergunte a um grupo de 10 candiotenses sobre o que está acontecendo na cidade em termos de desenvolvimento. Tenho certeza que menos de cinco saberão responder com exatidão. O município que mais cresce na Região da Campanha ainda é mal informado.
Ao contrário do que muitos possam pensar, informação não chega de bandeja, é preciso buscá-la, apertando o botão do rádio ou da TV, lendo jornais ou revistas ou acessando a internet.
Não é por falta de meios a desinformação. Temos rádios, jornal e TV que abrangem o município, e mesmo assim há ações importantes acontecendo que os alienados dizem: - Ah! Eu não sabia!.
Poxa vida, em pleno século 21, qualquer cidadão pode saber o que quiser, onde quer que esteja de forma rápida e fácil. Talvez, se muitos candiotenses parassem de se preocupar com a vida alheia ou com as populares fofocas, com certeza procurariam estar melhores informados.
A verdade, a realidade, nem sempre é bem vista. Mas está na hora de sair da era da pedra.
Eu sei que não será com esse artigo que os fatos vão mudar, afinal, as pessoas mal lêem jornal. Mesmo assim, falam um dos outros e teimam em criticar iniciativas que se quer, sabem os porquês que as envolvem.
Finalizando, vale como lição de vida: Nunca julgue um trabalho ou atitude que você não conhece as reais condições em que foram realizados.




sábado, 2 de maio de 2009

Eu agora tenho um blog também!!!

Bem, agora eu também tenho um blog! É válido esse espaço virtual onde podem ser livremente, expressadas as ideias, sentimentos e opiniões, sem vínculo redacional ou com algum meio de comunicação! Resolvi criar, ou melhor, recriar um blog em função do sucesso desta ferramenta na região, mas...vale lembrar, que o blog não é novidade. Muito, mas muito antes do Orkut ou do sucesso do MSN, os blogs já "bombavam". As páginas eram muito utilizadas, entretanto, as novas "modinhas" da internet, apagaram um pouco o brilho dos blogs, fazendo com que os internautas os deixassem de lado. Eu mesmo já tive um e, abandonei. Agora voltou a febre, espero que se mantenha no auge e que os blogueiros possam se comunicar e também levar uma informação diferenciada a quem nos acessa. Vou postar aqui opiniões variadas e espero o respeito, assim como respeito blogs de amigos que leio com o maior carinho!
Valeu,